Vermelho salgado

História, cultura, turismo e muita água salgada fazem do Mar Vermelho um dos lugares mais bonitos do planeta, procurado por turistas o ano inteiro
Por Rodrigo Rezende    Fotos Divulgação

“Mar Vermelho” está nas músicas – talvez em centenas delas –, a exemplo da homônima de Erasmo Carlos, um “roquenrol” bem legal, e em outras menos conhecidas (ou não), como Hino da Vitória, da cantora e pastora Cassiane, que figura entre as recordistas de vendas de discos gospel, ou ainda em Mar Vermelho, de Xano Cigano, cantor cigano de Portugal. O tema aparece também em livros, filmes, animações (é o caso de Lendas do Mar Vermelho, feita por alunos da Universidade Federal de Minas Gerais), poesias, pinturas e algumas obras de arte. “Mar Vermelho”, enfim, está nas novelas e nas apostilas de geografia.
Fisicamente ele fica entre a Arábia Saudita, Djibuti, Egito, Eritreia, Iêmen, Israel, Jordânia e Sudão. É no Mar Vermelho que brilha o peixe borboleta e, junto com ele, incontáveis espécies de invertebrados e de corais, e pelo menos 300 tipos de tubarões. São quase dois mil quilômetros de comprimento das águas mais salgadas do mundo, com aproximadamente 40% de salinidade.
Condimentado também podem ser os preços para os turistas verem de perto essa maravilha da natureza. Mas isso depende do tamanho do bolso de cada um. Palco de naufrágios e guerras, o local é alvo de quem gosta de explorar roteiros inusitados. Oferece aos visitantes riquezas em cultura e bem-estar. Região de cruzeiros e mergulho. Novidades recentes por lá são os hotéis “secos”, sem álcool. Isso mesmo, se você gosta de uma birita é melhor se informar para não ficar na mão na hora H.
Há quem protagonize proezas marcantes por lá. Foi isso que fez, em 2012, o francês Philippe Croizon – que não tem braços e pernas. Ele cruzou o Mar Vermelho nadando do Egito até a Jordânia. Dê uma olhada no mapa para entender o tamanho do abacaxi. Mas quem se destacou mesmo por ali foi Moisés. De acordo com textos bíblicos, liderando o povo judeu que fugia do exército do faraó rumo à “terra prometida”, ele guiou o povo pelo deserto durante décadas, algo que começou quando uma passagem pelo Mar Vermelho foi milagrosamente aberta.
Claro que nem todo mundo acredita na porção divina da façanha, incluindo os pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica dos Estados Unidos e da Universidade do Colorado, que comprovaram que o fato narrado nas Escrituras seria cientificamente possível. Confira abaixo o vídeo da experiência – e tenha cuidado para não cair nas notícias sobre o Mar Vermelho que fica no Brasil, cidadela lá de Alagoas.